A conselheira da NATO para tecnologias disruptivas avisa que é preciso ter muito medo da Rússia e que a campanha de ciberataques não pode ser menosprezada. Ela entende que a guerra na Ucrânia está para durar e dá o exemplo do ataque informático a um hospital português como uma violação de soberania.



Source link

By Author

Leave a Reply

Your email address will not be published.