A 18.ª edição do festival vai passar pelos concelhos de Mourão e Montemor-o-Novo, pela primeira vez, assim como por Ferreira do Alentejo, Vidigueira, Castelo de Vide, Santiago do Cacém, Beja, Alter do chão, Mértola, Odemira e Sines, precisou a promotora, a associação Pedra Angular, em comunicado enviado à agência Lusa.


Segundo a associação, o festival, com o título “Há uma paz infinita na solidão das herdades: Quietude, Natureza e Música (Séculos XII-XXI)”, vai ter Áustria, Bélgica, Eslováquia, Hungria, Polónia, República Checa e Espanha como países convidados e “apresentar concertos com agrupamentos vindos das mais diversas geografias”.


A programação, cuja “qualidade coloca o Alentejo na agenda cultural europeia e fomenta o conhecimento e a memória do território”, vai incluir, em cada concelho e ao fim de semana, três eventos gratuitos, como uma visita guiada a património, um concerto de música erudita e uma ação de salvaguarda da biodiversidade.


“A comemorar 18 anos de existência, o festival mantém-se fiel aos valores e à missão que o guiam desde a sua génese, privilegiando o caráter itinerante, a tónica na descentralização cultural, a formação de novos públicos, a inclusão e a sustentabilidade”, frisou a associação.


A edição deste ano do festival arranca no próximo fim de semana, dias 02 e 03 de abril, no concelho de Ferreira do Alentejo, no distrito de Beja, começando, no sábado, às 15:00 com uma visita guiada a património cultural da aldeia de Peroguarda.


Segue-se, ainda no sábado, um concerto do agrupamento de câmara Trio Klavis, da Áustria, a partir das 21:30, no Lagar do Marmelo, freguesia de Figueira dos Cavaleiros, e uma ação sobre ervas comestíveis, aromáticas e medicinais, no domingo, a partir das 09:30, no Cerro das Águias, à volta da vila de Ferreira do Alentejo.


As restantes 10 etapas vão decorrer nos concelhos de Vidigueira (14 e 15 de maio), Castelo de Vide (28 e 29 de maio), Santiago do Cacém (11 e 12 de junho), Beja (18 e 19 de junho), Alter do Chão (02 e 03 de julho), Mértola (16 e 17 de julho), Mourão (30 e 31 de julho), Odemira (02 e 03 de setembro), Montemor-o-Novo (17 e 18 de setembro) e Sines (22 e 23 de outubro).


A programação incluirá concertos do grupo vocal Cupertinos (Vila de Frades, Vidigueira, 14 de maio), do Ensemble Bonne Corde (Castelo de Vide, 28 de maio), do Efficio Piano Trio (Santiago do Cacém, 11 de junho), do pianista Valentin Magyar (Beja, 18 de junho) e da soprano Carla Caramujo e da pianista Lígia Madeira (Alter do Chão, 02 de julho).


O certame também prevê concertos da pianista Karolina Mikolajczyk e do acordeonista Iwo Jedynecki (Mértola, 16 de julho), do Janácek Quartet (Mourão, 30 de julho), do pianista Raul M. Sunico (Odemira, 02 de setembro), Voces Cælestes e Os Músicos do Tejo (Montemor-o-Novo, 18 de setembro) e Il Giardino Armonico (Sines, 22 de outubro).


A oferta de visitas guiadas inclui, entre outras, passagens por patrimónios associados ao vinho da talha (Vila de Frades, Vidigueira, 14 de maio), ao escritor Manuel da Fonseca (Santiago do Cacém, 11 de junho), à tradição islâmica dos banhos públicos (Mértola, 16 de julho) ou a monumentos megalíticos (Sines, 22 de outubro).


A Serra do Mendro (Vidigueira, 15 de maio), O `reino` das aves na barragem de Póvoa e Meadas (Castelo de Vide, 29 de maio), os “Rituais do Pão em Terras de Salvada” (Beja, 19 de junho), a biodiversidade nas margens do rio Guadiana (Mértola, 17 de julho) e o Grande Lago de Alqueva (Mourão, 31 de julho) são temas de algumas das ações de salvaguarda de biodiversidade previstas.




Source link

Leave a Reply

Your email address will not be published.