Jornais em banca sobem preços devido ao aumento de custos de produção



O preço da edição impressa do Público aumenta a partir de hoje 10 cêntimos, de segunda-feira a sábado.


De acordo com a edição de quinta-feira do título do grupo Sonae, “esta atualização surge na sequência do aumento dos custos das matérias-primas e dos custos de produção”.


Neste contexto, o Público passa a custar 1,50 euros nas edições de segunda a quinta-feira e dois euros nas edições de sexta-feira e sábado. O preço o jornal impresso ao domingo “mantém-se”.


De acordo com o Público, “esta atualização será insuficiente para equilibrar o impacto da subida do custo do papel nas receitas do jornal”.


Também o Jornal de Notícias (JN) e o Diário de Notícias (DN), do grupo Global Media, sofrem a partir de hoje um aumento de 10 cêntimos, devido à subida do preço do papel.


As edições do JN e DN às sextas-feiras custavam 1,80 euros, sendo que, com esta atualização, o valor passa a ser 1,90 euros.


Também o Correio da Manhã, do grupo Cofina, aumentou hoje em 10 cêntimos o preço de capa.


De segunda a quinta-feira, o jornal passa a custar 1,50 euros e de sexta-feira a domingo 1,90 euros.


A revista Sábado, também do grupo Cofina, vai passar a custar mais 20 cêntimos na próxima edição. Atualmente o preço de capa é 3,80 euros.


“A assinatura da Sábado em papel e no digital tem um desconto automático de 38%. A assinatura apenas digital, que lhe permite aceder a todos os conteúdos `online` e à revista `e-paper` custa 6,99 euros”, refere a revista, na sua última edição.


O jornal Nascer do Sol mantém o preço e o Inevitável subiu 50 cêntimos.


Desde o início do ano, que o Expresso tem um novo preço de capa, de 4,50 euros, “como consequência do aumento dos custos de produção, essencialmente com o acentuado agravamento do custo do papel, e do maior investimento em talento e conteúdos de qualidade”, referiu o título na altura.




Source link

Leave a Reply

Your email address will not be published.