STE, Frente Comum e Fesap defendem aumentos salariais. Dizem que não podem ser os funcionários públicos a pagar a fatura da inflação.