A medida é vista como eleitoralista porque ocorre em plena pré-campanha e só dura até dezembro.