Assim, foi apresentado um “aviso prévio de greve total”, referiu a estrutura sindical, para os dias 30 de abril, 14 de maio, 04 de junho, 11, 12, 24 e 25 de junho, 02, 16 e 30 de julho, 06 e 20 de agosto, 03 e 17 de setembro, 01 e 15 de outubro, 05 e 19 de novembro, 04, 23 e 25 de dezembro.


Além destas greves totais e por causa do pagamento do trabalho extraordinário, foi apresentado um “aviso prévio de greve a todo o trabalho extraordinário, incluindo dias feriado, iniciando-se no próximo dia 22 de abril de 2022 com `terminus` a 31 de dezembro de 2022”.


Por outro lado, “a título da adaptabilidade ou elasticidade”, foi apresentado um aviso prévio de greve “a todo o trabalho em regime de adaptabilidade ou elasticidade, incluindo dias feriado, iniciando-se no próximo dia 22 de abril de 2022 com `terminus` a 31 de dezembro”, indicou o STAMA.


Esta terça-feira, o STAMA anunciou que vai avançar judicialmente contra a empresa de `handling` (assistência em terra nos aeroportos) Portway, alegando incumprimento da contratação coletiva e outras matérias. 


Em declarações à Lusa, João Eusébio Varzielas, presidente executivo do STAMA, afirmou que “a ida para a justiça está decidida” e “as ações vão dar entrada”, justificando que “há uma série de situações de incumprimentos graves”.


Em comunicado divulgado na terça-feira, o STAMA anunciou que irá avançar judicialmente contra a Portway “em matérias várias sobre o incumprimento da contratação coletiva e não só”, argumentando que “as férias gozáveis em 2022 pelo método ilegal que a empresa tenta impor nem em 2024 estão gozadas”.


O STAMA irá ainda avançar com um “plano de ações de natureza reivindicativa”, considerando que “não há nenhum preço aceitável para regimes de semi-escravatura”.


O sindicato afirma que “as ações industriais serão transmitidas aos trabalhadores assim que comunicadas oficialmente à empresa e à DGERT, tendo desde já uma meta temporal a terminar a 31 de dezembro de 2022”, pelo que se irá realizar uma nova ronda de plenários.


Questionado sobre se o STAMA irá juntar-se à greve do Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Aviação Civil (Sintac), que emitiu um pré-aviso, nos dias 15, 16 e 17 de abril, ou seja, no fim de semana da Páscoa, João Eusébio Varzielas adianta à Lusa que “não é possível marcar [greve] devido ao tempo de pré-aviso”, mas “provavelmente haverá um apelo”.


O STAMA afirmou ainda que a Portway adiou a reunião convocada pela DGERT com este sindicato para esta terça-feira.


No entanto, contactada pela Lusa, a empresa de `handling` explicou que pediu o reagendamento da reunião à DGERT, uma vez que uma outra reunião de mediação com o Sintac se prolongou, levando a sobreposição de agenda.


 




Source link

By Author

Leave a Reply

Your email address will not be published.