Assembleia Municipal de Setúbal aprecia moções de censura ao executivo


A moção de censura do PSD pede a demissão do presidente da Câmara de Setúbal, André Martins, alegando que o autarca sabia das ligações dos elementos da Associação dos Imigrantes de Leste (Edinstvo) ao governo russo e nunca o assumiu.

O PS, que também prometeu avançar com uma moção de censura ao executivo camarário, considera que neste momento cabe ao presidente do município decidir se tem ou não condições para continuar em funções, mas adiantou que há outras razões que justificam a censura da liderança do executivo camarário, além da polémica sobre a receção aos refugiados ucranianos.



Face à alegada ausência de respostas do executivo camarário, a par da moção de censura, o PS deverá também propor a criação de uma Comissão de Fiscalização da Conduta da Câmara Municipal. A comissão, a ser aprovada, permitirá chamar para audição diversos elementos dos serviços camarários envolvidos no processo de acolhimento de refugiados.

Rent Your Home

CodeCult Creative Business Agency

A Assembleia Municipal de Setúbal tem 33 eleitos – 12 da CDU, 10 do PS, seis do PSD, dois do Chega, um do BE, um do PAN e um da IL. A estes 33 eleitos da Assembleia Municipal juntam-se, por inerência do cargo, os presidentes das cinco juntas de freguesia do concelho, todos da CDU.

A eventual aprovação de uma moção de censura na Assembleia Municipal não provoca a queda do executivo camarário, uma vez que nas autarquias, ao contrário do que se verifica na Assembleia da República, não têm caráter vinculativo.



Source link

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *